the end

agosto 26, 2008

Com o fim das Olimpíadas, tudo volta ao normal, países como Estados Unidos, China, Inglaterra seguem investindo pesado em seus atletas, e sem dúvida, garantem um lugar ao sol no próximo evento olímpico. E assim, vão sendo construídos os ídolos do esporte, com talento, superação e investimento.

É emocionante saber que existe um atleta dessa categoria lutando todos os dias  para ser um campeão.

Já aqui no Brasil, passados os momentos de homenagens aos atletas que se destacaram, voltei a pensar em Eduardo Santos do judô: um brasileiro qualquer, que como muitos não têm oportunidades, não tem estilo de atleta, não tem postura para a entrevista, não tem nada, além do talento e da força de vontade. Um brasileiro que foi para as Olimpíadas na China, mas que no Brasil não teve condições de pagar a prova para passar de faixa marrom à preta!

É emocionante saber que existe um campeão dessa categoria lutando todos os dias para ser um atleta!

 

 

my best friend…

agosto 22, 2008

Só se fala em algemas por aqui…. Tudo em seu devido lugar no país da fantasia e do Carnaval.

A causa de muita coisa…

agosto 20, 2008

A educação vai mal no país, mas isso, estranhamente, não preocupa a maioria dos pais (com filhos em escola particular), professores e a sociedade no geral. Quase todos parecem estar contentes com o desempenho de seus filhos, os julgam geniais por saberem tudo de computadores e o quanto são capazes de fazer tudo ao mesmo tempo: eles olham televisão, conversam pelo msn, jogam e falam no celular, realmente, são versáteis, aprendem rápido e têm respostas na ponta da língua para tudo. Claro que isso é bom, o potencial deles é imenso. Mas, as crianças e jovens estão cada vez mais longe da lentidão de um livro, da subjetividade de uma poesia, da demora de uma análise. É como se no mundo deles não coubesse mais nem a reflexão, nem o silêncio. Eles sabem sobre muitas coisas – superficialmente, mas o pensamento precisa de profundidade, é necessário referência para a formulação de uma idéia. Na prática, é só dar uma olhadinha no ranking. Em comparações internacionais, mesmo os melhores alunos brasileiros ocupam as últimas colocações em competições com outros países. * Segundo o físico alemão Andreas Schleicher, que comanda os rankings de educação da OCDE (organização que reúne as trinta nações mais desenvolvidas do mundo), o aluno brasileiro tem facilidade para decorar a matéria, mas paralisa quando precisa estabelecer algum tipo de relação entre o que aprendeu e o mundo. Sem capacidade de abstração, esses jovens estão deixando em segundo plano a própria capacidade que os constitui: a de pensar!

 

 

Cortejo Negro

agosto 15, 2008

 

Em primeiríssimo lugar, parabéns aos irmãos Diego e Pablo, roteirista/diretor e produtor desse curta-metragem que foi muito bem em Gramado. Ganhador de Melhor Diretor, Melhor Produtor e Melhor Fotografia, Cortejo Negro foi o segundo curta mais premiado no Festival de Cinema.

Assisti ao filme ainda no laptop do Pablo sem finalização e gostei muito, “o texto é ótimo” foi o que eu disse no final!

Fico feliz, o Festival de Gramado – como forma de vitrine para o cinema nacional – exibiu e premiou Cortejo Negro e o talento desses jovens cineastas. Agora quero ver na telona, Pablito.

 

 

 

férias

agosto 12, 2008

Veja que decepção.

agosto 12, 2008

 

Que a Revista Veja é tendenciosa não há dúvida, mas até aí tudo bem. A sua visão do mundo ser mais voltada para a direita é uma questão de posicionamento. Sua qualidade e sua importância na imprensa brasileira é inegável.

Porém, nas últimas edições, mais especificamente na última, fiquei surpresa com a matéria de capa, que tratava de possíveis escutas clandestinas no Planalto e no caso *Daniel Dantas.

Até onde vai a influência do banqueiro mais famoso e controverso do Brasil? Na minha opinião, escancaradamente, chegou ao quarto poder.

Além de uma matéria mal escrita, demonstra claramente a desinformação dos jornalistas, transformando suposições em fatos de uma forma que vai muito além do jeitinho jornalista de ser.

No trecho da matéria “O jornal Folha de S. Paulo revelou que o delegado **Protógenes conseguiu uma autorização judicial que, na prática, concedeu-lhe uma senha que permite o acesso aos registros telefônicos de qualquer cidadão do país” é nítida a intenção de afirmar que é possível através dessa senha escutar as conversas das pessoas indiscriminadamente, já que o assunto é escuta telefônica.

Pois é, na melhor das hipóteses, é incompetência, e na pior, comprometimento. Que historinha mal contada essa…

 

* amigo número 1 da Veja

** inimigo número 1 da Veja