maestro

dezembro 9, 2009

eu vou ter que passar minha vida cantando uma só canção eu vou ter que aprender a viver sozinho na solidão eu vou ter que lembrar tantas vezes o riso dos olhos seus eu vou ter que passar minha vida tentando esquecer este adeus eu vou ter que esquecer seu sorriso e o pranto dos olhos meus eu vou ter que esquecer seu olhar na hora do adeus eu vou ter que esquecer minha vida só você não percebe porque eu vou ter que passar minha vida esquecendo você

Ma che lingua parla?

dezembro 7, 2009

Vinicius, o filme.
É essencial ter esse documentário ao alcance das mãos para rever sempre o poetinha.
Atores representam suas poesias, amigos contam suas vivências e os filhos revivem suas histórias. Tudo com muita honestidade, mostrando o devasso, o bom coração e o gênio da poesia.
É de se emocionar com o choro contido de Edu Lobos e a risada sincera e saudosa de Chico Buarque. É de tolerar as chatices de Caetano e Gil pela reverência concedida. É de entender a pureza de Antônio Cândido e sua mão ainda estendida para a amizade. É de querer ser Toquinho pela cumplicidade, Baden pela sintonia musical, Ferreira Gullar pela leitura simples que faz do poeta.
Mas, por puro egocentrismo, o que mais gosto desse filme é o que ele provoca em mim – um desconcerto profundo, pela forma que me atinge, pelo que me faz sentir, pela lembrança guardada e próxima de felicidade – indizível como Venezia e todas as coisas que existem para a eternidade.
Revendo o poetinha eu revivo tudo isso. Vinicius, grazie, saravá.