Meu nome é Rafalea D. e minha amiga é Rafaela R. Na aula eu digo para ela “que nome lindo”. Eu e ela falamos muito desse nome maravilhoso. 

Ai eu agradeço muito por esse nome tão lindo e ela diz “também acho”. Eu fui feita para esse nome e acho que a Rafa R.  também. É o nome mais bonito de todo espaço e do universo. A gente se diverte muito falando sobre o nome Rafaela. As rafas. Eu gosto do nome Rafaela porque ele tem sete letras, nao é tão comprido nem muito grande, ele é normal e não é muito diferente dos outros

Eu acho que o nome Rafaela perfeito para nós. Você nao acha Rafa R.? Eu so sei que eu gosto e muito. Também tem Rafael mas nao é tão bonito assim, nao tem nada melhor do que Rafaela.  Rafael está quaaaaase lá, mas falta um a,  ainda nao chegou no trofeu. Rafaela é o campeão. Todos os nomes são bonitos mais para mim é o meu o mais bonito. Falando e falado eu hoje sonhei que eu era a letra erre, rei rei rei. Agora vou terminar nao tenho o que falar.

Anúncios

cores e imagens

agosto 31, 2012

Imagem

Para Cachinhos Dourados

agosto 30, 2012

Quando me propus a escrever a seção Para Cachinhos Dourados no blog, o fiz com a ideia de conversar contigo, Rafaela, inclusive, entre outras coisas, na forma de conselho.

Bom, vai começar o blá blá blá. Quando eu era pequena, achava quase todas as roupas desconfortáveis, gostava de abrigo – nunca calça jeans – camiseta, moleton e tênis, a joelheira praticamente fazia parte da minha anatomia. Os tecidos mudaram, a moda e as crianças mudaram também. O jeans virou elastic e isso é demais! Por todo o apelo e por todas as opções que existem, eu sou a maior fã de uniforme na escola. Não tem discussão. Mas e quando não tem escola? O que a boneca vai vestir?

O que eu espero não ter mudado para ti nem para as outras crianças é o ser criança – com a segurança e a espontaneidade de vestir qualquer coisa e ir brincar, sem cor, sem dor. Gostar de moda, não acho demérito, muito menos futilidade, é a expressão do estado de espírito, do bonito, do diferente, da criatividade, enfim, nada de menos, nada de mais também. Porém, essa estética não é o que as pessoas são. Assim como a cor da parede da casa não ataca a chuva, nem a discórdia, não segura um quadro, nem assegura a paz. As tuas roupas, maquiagens, perfumes e sapatos, minha filha, são coisas bonitas, alegres, faz com que as pessoas te olhem, te elogiem e isso faz bem. Por essa razão, não vou dizer que não dê importância a isso, apenas que dê a devida importância.

A equação é assim:

brincar = estar confortável > se embonecar

E se ainda restar dúvida:

Veste qualquer coisa e chuta a bola, boneca!

Simplicidade

agosto 28, 2012

 

Vai diminuindo a cidade

Vai aumentando a simpatia

Quanto menor a casinha

Mais sincero o bom dia

 

Mais mole a cama em que durmo

mais duro o chão que eu piso

tem água limpa na pia

tem dente a mais no sorriso

 

Busquei felicidade

encontrei foi Maria

Ela, pinga e farinha

e eu sentido alegria

 

Café tá quente no fogo

barriga não tá vazia

quanto mais simplicidade

melhor o nascer do dia

 

Eu e My Girl vamos à música! A expectativa é grande, Pato Fu cantando músicas famosas com sonoridade de diversos instrumentos de brinquedo.  Apitinhos, flautinhas, pianinhos e fernandinha. Depois a gente conta.

Obs.: amiguinhos, vamos no show das 17h.

http://www.ingressorapido.com.br/Evento.aspx?ID=22077

http://www.radio.uol.com.br/#/album/pato-fu/musica-de-brinquedo/20191

Adivinha o nome dela!

agosto 24, 2012

Ai a Gal, que saudade de Gal. É a voz do Brasil, a preferida.

O show Recanto, produzido por Caetano Veloso, aconteceu ontem em Porto Alegre. Sensacional, imagino que sem igual hoje no país. Misturando músicas antigas – repaginadas, com o novíssimo Recanto, Gal Costa provou, ao menos para mim, porque foi a escolhida de Tom Jobim. Porém, quem esperou ver aquela baiana cantando Meu nome é Gal, não entendeu nada e tomou na cabeça uma batida eletrônica fortíssima para os padrões tropicalhistas dos 60’s e, se ainda assim, ainda esperava por London London, o solo de guitarra não deixou dúvida, o que deixou foi muito cabelo grisalho em pé.

Bem no início, começou a se desenhar um quadro muito feio: o show começou um pouquinho antes, nossos lugares estavam ocupados por duas senhorinhas tão senhorinhas que não tivemos coragem de reclamar, achamos outros lugares próximos e nas duas primeiras músicas aquela tensão persistia. Ao meu lado sentou uma j’adore, pelamordedeus, não era uma pessoa, era um frasco aberto desse perfume insuportável. Na terceira música, Recanto Escuro, eu entrei de alma no show, o corpo, já tensionado, então cedeu. Mas meus aplausos não foram só para o novo disco, totalmente inovadas: Baby, Folhetim e Força Estranha deram um up em tudo aquilo que eu já sentia. Oh, please, stay by me, Baiana.

Recanto

agosto 23, 2012

Hoje eu tenho um encontro com a Gal.

A música

agosto 17, 2012

A temporada (de inverno) de shows está terminando. Ney Matogrosso e Maria Bethânia já foram e a Gal Costa será semana que vem. Fuerte este inverno. Com o Ney eu só queria uma pista para dançar, que incrível aquele homem, que homem aquele artista ao ordenar: “Bandoneon toque de novo que Teresa esta noite vai ser minha e vai cantar para eu sonhar”. Mas que sorte da Teresa. Que sorte a minha de ter conseguido ir ao show. Cada vez que ele abria a boca eu me arrepiava toda. Chorei no primeiro acorde de Fascinação e parei no último. Com a Bethânia no palco cantando Olhos nos olhos eu quis a minha infância de volta, o vinil lá de casa e meu pai falando “que voz!” É isso, Bethânia é uma voz que brinca de cantar, que brinca de pega-pega: ela canta e a banda corre atrás. E não é à toa que esse show memorável me levou ao passado, ficou a sensação de que Bethânia é presa lá – no bom sentido, claro – cantando um Chico Buarque político-malandro-poeta e toda a sua juventude, no tempo em que“a Marieta ainda mandava um beijo para os seus”. A MPB se diversificou. Chico Buarque segue escrevendo, gravando coisas boas, criando sempre. Caetano Veloso é eternamente moderno, se reinventa, ficou bonito e surgiu roqueiro – está super avant-garde com seu trans-rock. Maria Bethânia ainda está lá. Acho isso fantástico, porque ela estando lá, nos possibilita, de vez em quando, ir também. “Nela o timbre crestado, com uma qualidade de juta, é um dos componentes mais humanos; mas seu canto se eleva mais alto, lírico, embriagado de espaço, cravejado de estrelas.” Vinicius de Moraes escreveu isso 12 anos antes de eu nascer, quando Bethânia era uma jovem voz. Comentei na saída do show: ouvir certas músicas é um marco em nossas vidas. Uma delas é Maria Bethânia cantando Tatuagem, outra é Paul McCartney cantando Black Bird e Chico Buarque cantando Todo Sentimento, entre tantas outras. É a música que transcende a música e vira um fenômeno. Algo como cometa Halley, com uma espera menor que 76 anos para se repetir – assim espero.

Para Cachinhos Dourados

agosto 17, 2012

Não, não é o que parece, nunca foste ruiva, é só o efeito da foto escaneada, minha filha. Já tem dois anos essa foto, assim como o versinho que escreveste. Lembro que na época eu anotei ao lado o que quiseste escrever, para não esquecer. Acho até que era uma música. Que amor!

Para Cachinhos Dourados

agosto 17, 2012

Imagem

Imagem